O uso de óculos escuros, ao diminuir a luminosidade que atinge os olhos, induz a dilatação da pupila, deixando as estruturas oculares mais expostas à radiação ultravioleta (UV). Quando os óculos não têm proteção anti-UV, os efeitos indesejáveis desse tipo de radiação são mais severos. A exposição prolongada à luz solar pode causar problemas oculares como pterígio (quando um tecido fibrovascular cresce sobre a córnea), degeneração macular relacionada à idade (DMRI) e o surgimento precoce de catarata e câncer de pele nas pálpebras. Para a garantia da saúde dos olhos, deve-se exigir o certificado do filtro anti-UV ou consultar o Inmetro que é responsável pelo controle e pela fiscalização dos óculos de sol.

Muito se fala sobre os problemas que o sol pode trazer para a nossa pele, mas muita gente esquece que a exposição desprotegida pode causar problemas também para os olhos. O oftalmologista Virgilio Centurion, diretor do Instituto de Moléstias Oculares, explica que a radiação ultravioleta, UV, pode levar a uma variedade de problemas de saúde dos olhos como catarata e fotoalergias.

Catarata: consiste na opacidade total ou parcial do cristalino, lente natural do globo ocular, que é responsável pela focalização da visão para perto e para longe. É a diminuição progressiva da visão, podendo ser congênita ou adquirida (que é a forma mais frequente da doença). Na imagem ao lado: a primeira é uma visão normal, a segunda uma visão com catarata.

A catarata atinge quase metade (46,2%) da população mundial com mais de 65 anos. Estima-se que no mundo cerca de 160 milhões de pessoas tenham esta doença, considerada a maior causa de cegueira evitável. No Brasil são 2 milhões e surgem cerca de 120 mil novos casos ao ano.

Fotoalergia: A alergia ao sol é uma reação do sistema imunológico à exposição da pele à luz solar. É também chamado de erupção cutânea fotoalérgica ou fotoalergia e fotodermatose. O processo alérgico, muitas vezes ocorre em duas etapas. O primeiro contato com o alérgeno, ou sensibilização, as células específicas produzem anticorpos, tais como IgE. A segunda exposição provoca a liberação de substâncias como a histamina, que causam diversas reações inflamatórias, como a alergia.

Note que, a resposta do organismo contra uma determinada reatogenicidade (o conjunto das reações às vacinas) varia de um indivíduo para o outro. Os sinais mais graves podem aparecer de repente, é a hipersensibilidade imediata. Por outro lado, a hipersensibilidade tardia, menos ofensiva, aparece mais tarde. Essa é uma definição ampla de alergia. Alguns especialistas acreditam que este mecanismo é repetido para cada insolação, o paciente se torna mais sensível e mais lesões se intensificam. Estima-se que 5 a 10% das pessoas sofrem de alergia ao sol. Esta doença afeta principalmente as mulheres, sendo que 95% são jovens de 20 a 35 anos.Outros médicos pensam que na verdade não é realmente uma alergia ao sol, mas sim uma forma de dor muscular causada pelo sol. Falar de “alergia ao sol” é um equívoco, porque não foi provado que o sol é realmente o alérgeno.

Há ainda a possibilidade de contrair ceratite, uma espécie de “queimadura da córnea” que causa dor, vermelhidão, lacrimejamento, fotofobia e sensação de areia nos olhos.”O maior risco para os olhos se encontra na exposição prolongada ao sol, que por sua vez, pode ser mais perigosa. A incidência direta dos raios ultravioleta no olho humano, ocasiona lesões oculares, que gradual e cumulativamente, podem resultar na perda total da visão. As lesões oculares mais comuns causadas pelo excesso de sol são a queda da percepção de detalhes pela mácula e a formação da catarata, problema ocular grave, de maior incidência no mundo”, destaca Centurion.

Vale lembrar que os efeitos da radiação UV são cumulativos. Ou seja, quanto mais os olhos são expostos aos raios UV, maiores serão os riscos do desenvolvimento de uma doença, com o passar dos anos. Mas saiba que para proteger os olhos do efeito do sol é muito simples, basta utilizar bons óculos de sol. “É aconselhável o uso de óculos escuros de boa qualidade e que ofereçam proteção adequada aos olhos, não apenas durante o verão, e sim durante todo o ano”, explica a oftalmologista Fernanda Takay, também do Instituto de Moléstias Oculares.

Segundo a oftalmologista, na hora de comprar os óculos de sol deve levar em consideração em primeiro lugar o nível de proteção contra a radiação ultravioleta (UVA e UVB) que as lentes oferecem. “Esta informação deve estar disponível, no momento da compra, seja no adesivo afixado aos óculos ou em livretos contendo informações técnicas sobre o produto.” (falaremos mais disso em um outro momento).

Regras de uso

Com o sol escaldante que vem assolando nossa região, o uso dos óculos de sol tornou-se uma necessidade. Acessório almejado e amado pelas mulheres, que além de embelezar o rosto, protege os olhos dos raios UV prejudiciais a vista, ele tem suas regras de uso correto. Veja algumas:

  • Basicamente usamos em lugares onde a luminosidade do sol é intensa, em locais abertos.
  • Não devemos usar em ambientes fechados, como o próprio nome diz, são óculos de sol, para serem usados em lugares ensolarados, ao ar livre.
  • Quando for falar com alguém, tire os óculos para que possam ver seus olhos, em sinal de atenção com quem fala. Como já dizia o filósofo Erasmo de Roterdã: “Os olhos são o espelho da alma”, e por este motivo, quando conversamos, devemos olhar bem nos olhos do interlocutor. É sinal de atenção, boa educação e um gesto elegante.
  • É aconselhado o uso dos óculos escuros nos velórios. Quando choramos, nossos olhos ficam congestionados, vermelhos.

As boas maneiras, tanto para os homens como para as mulheres, são um conjunto de regras que, quando assimiladas, resultam em uma pessoa naturalmente elegante. Acredito que muitas gafes são cometidas pela mais absoluta falta de conhecimento das regras de Etiqueta, daí a importância de estar sempre bem informado sobre o comportamento adequado para cada ocasião.

Não estamos falando de normas de esnobismo, mas de cultivar a boa convivência no cotidiano, conversar com “olho no olho” demonstrando o quanto seu interlocutor é importante para você. Neste momento são só você e ele, e nada deixa uma pessoa mais satisfeita do que ser ouvida com atenção, e aquilo que pode parecer uma “frescura”, nada mais é do que o conhecimento e utilização do uso correto das normas da boa educação.

Óculos: como escolher?

Há algum tempo atrás os óculos de grau eram tidos como algo feio, que atrapalhava o Look. Hoje, eles são usados para complementar o visual, e algumas pessoas utilizam até mesmo lentes sem grau, só para dar um charme. Os óculos de sol também foram incorporados ao dia a dia e viraram item obrigatório no guarda-roupa. São acessórios que compõem nosso look na maior parte do tempo e, por isso, além de bonitos, devem ser confortáveis.

O esteta ótico Miguel Giannini, profissional reconhecido da área, explica que o mais importante na hora de comprar um par de óculos é escolher um que combine com a sua personalidade. “Essa história de formato de rosto adequado é balela. Se você colocou os óculos e se identificou, está perfeito”, diz ele.

O profissional defende que os óculos devem refletir aquilo que a pessoa é, seja extrovertida, tímida, fashion, conservadora, etc., e que, para isso, não há regras. No entanto, existem sim alguns itens que precisam ser levados em consideração e analisados calmamente na hora de comprar o acessório. Portanto, não tenha pressa! Veja algumas dicas:

 – O primeiro aspecto é o apoio nasal. “O nariz é o cavalete dos óculos, que vão se apoiar quase inteiramente nessa região. Um bom apoio garante equilíbrio e impede que o acessório deixe marcas”, explica o profissional. O apoio temporal, portanto, é secundário. Deve-se apenas garantir que as hastes estejam bem ajustadas e que não apertem atrás da orelha, para evitar que fiquem protuberantes.

 – As sobrancelhas e o centro da expressão têm de ser respeitados. “Os óculos não podem nem anular as sobrancelhas e nem acompanhar o seu contorno, criando a impressão de uma segunda sobrancelha”, orienta o esteta ótico. Já o centro da expressão, área que fica entre os olhos, onde nasce o nariz, também deve ficar bem solto. Esses cuidados garantem que os óculos não interfiram ou mudem a expressão facial.

 – No caso dos solares, o aro inferior não deve apertar as maçãs do rosto. “Isso pode deixar marcas, além de impedir a boa oxigenação, o que faz com que os óculos embacem”, explica. Ele também indica as armações de plástico acetato, que não acumulam tanto calor como as de metal e evitam alergias.

 – Outro ponto importantíssimo é qualidade das lentes dos óculos solares. Quando nos expomos ao sol, nossas pupilas automaticamente diminuem, evitando a incidência solar. Quando colocamos uma lente escura sobre os olhos, elas voltam a se dilatar, e perdemos nossa proteção natural. Por isso, é crucial usarmos óculos somente com proteção contra raios UV, que evitam a exposição excessiva ao sol. Portanto, não esqueça: óculos sem filtro solar são mais prejudiciais que a falta deles. Isso porque dilatam a pupila e fazem entrar mais radiação nos olhos. Isso aumenta o risco de catarata, maior causa de cegueira tratável, e lesões na retina que ainda não têm tratamento eficaz

 – Opte por lentes resistentes a impactos. Um estudo conduzido na Espanha mostra que o disparo do Airbag eleva o risco de perfuração ocular entre pessoas que trafegam sem óculos e dobram o perigo entre as que usam lentes de cristal. Para proteger os olhos no trânsito a melhor opção são as lentes inquebráveis de policarbonato.

 – Faça o teste do sorriso: com a armação no rosto, sorria e confira se a parte inferior do óculos toca as bochechas. Se isso acontecer, essa não é a peça indicada, porque vai causar desconforto.

 – Os modelos com pontes (parte central do óculos) mais baixas do que a linha superior do óculos são as melhores opções para quem tem o nariz maior, pois parecem diminuí-lo.

 – Quando os óculos têm metal, as mulheres devem considerar também se a cor combina com a dos outros acessórios, como brincos. “A combinação é importante. É preciso bom senso para não misturar.” As lentes espelhadas, devem ser usadas apenas em situações informais, segundo Ventura. Outro fator importante, segundo Giannini, é evitar óculos de camelô, pois não há como saber se eles têm proteção ultravioleta.

 – Nunca deixar seus óculos de sol no painel do seu carro. O intenso calor produzido dentro de um carro fechado pode danificar os revestimentos da lente. Essa é a forma mais comum de danificar seus óculos de sol.

 – Bem como os cuidados de rotina com seus óculos, é também importante manuseá-los corretamente. Pode parecer óbvio, mas nunca deixe seus óculos com as lentes viradas para baixo. Em vez disso, dobre as hastes dos óculos e coloque-as para baixo, deixando as lentes sem o contato com a superfície. Para evitar o incômodo de procurar seus óculos, é aconselhável guardá-los sempre no mesmo local. É importante observar que cadeiras, poltronas e sofás são locais completamente inadequados para deixar os seus óculos, pois alguém pode  se sentar sobre eles por acidente

Orientações

“Algumas pessoas que têm o rosto largo querem um óculos de grau com a armação grande para disfarçar. Isso é um erro, principalmente se você usa um grau muito elevado, tanto de miopia quanto de hipermetropia, que distorce o tamanho do olho”, alerta o especialista. Segundo ele, as lentes são o que mais chamam a atenção nos óculos e, por isso, quanto menores forem, melhor. Os óculos grandes, que estão na moda, só podem ser usados sob duas condições: se o grau da lente for baixo e se a armação ultrapassar a linha da sobrancelha, deixando-a visível.

Já para os óculos de sol, Miguel recomenda as lentes degradê ao invés das totalmente escuras. “Além de estarem na moda, elas são mais simpáticas, pois mostram as expressões da pessoa. As lentes muito escuras dão um ar de mafioso para quem usa, parece que está tentando se esconder”, brinca o esteta ótico.

Segundo o especialista, a pessoa que usa óculos de grau deve ter, no mínimo, três exemplares: um com proteção solar, um para o dia-a-dia, mais versátil, e outro para ocasiões formais, mais discreto ou elaborado, dependendo do gosto da pessoa.

*Clique na imagem para aumentar o tamanho do texto, caso seja necessário.

olhos-sol

Manutenção e limpeza

A região ocular é a parte mais sensível do corpo. Por isso, a boa higienização dos óculos é obrigatória.

  • Lave os óculos regularmente com água corrente e um sabão neutro ou de coco. A água em movimento é especialmente eficaz para limpar óculos de sol usados na praia, pois ela garante a eliminação dos resíduos de areia que, além de riscarem as lentes, podem contaminar a mucosa.
  • As lentes antirreflexo dos óculos de grau nunca devem ser lavadas com água quente, pois correm o risco de craquelar. Procure higienizar de forma delicada.
  • Evite deixar os óculos jogados na bolsa sem nenhuma proteção. Além de correr o risco de entortar a armação e riscar a lente, você pode expor o acessório a bactérias. O ideal é mantê-los em uma caixinha própria e sempre ter uma flanela a mão.
  • A cada dois ou três meses, faça uma revisão nos seus pares em uma ótica. Lá, eles podem limpar os óculos mais profundamente e ainda ajustar algum desalinho na armação. “A maioria das pessoas não sabe, mas as óticas oferecem esse serviço gratuitamente”, comenta Miguel.

Pirataria e preço baixo: cuidado!

As vendas de óculos de sol estão aumentando em todo o Brasil e não é só em tempo de férias, verão ou Natal. Segundo o diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, de São Paulo, Renato Neves, enquanto se procura combater a pirataria, que responde por 40% do mercado ótico, uma parcela da população segue fazendo suas escolhas pelo preço, pondo em risco a saúde dos olhos. “Óculos de sol é, antes de tudo, uma questão de prevenção. As pessoas devem cultivar mais o hábito de não sair de casa antes de passar protetor solar e colocar seus óculos de sol, ainda que o dia esteja meio chuvoso. Só não adianta economizar muito, porque os modelos que não contam com proteção contra os raios ultravioleta podem ser até mais prejudiciais à visão do que sair de casa sem óculos”, diz Renato.

Neves adverte ainda que, além de fazer uso de bons óculos de sol em quaisquer circunstâncias, é importante lavar os olhos com bastante água durante o dia e pingar algumas gotas de lágrima artificial para limpar o globo ocular e prevenir doenças. “Esse hábito é especialmente recomendado para quem passa muitas horas diante do computador ou dos livros, e também para quem mora em cidades com alto índice de poluição”, explica.

O especialista revela que na hora de optar por um modelo é essencial que se esteja atento à cobertura dos olhos proporcionada pelo óculos, à qualidade da lente e à sua cor. “Aproveite que a moda está sugerindo as lentes grandes e arredondadas, que proporcionam maior cobertura à área dos olhos. Quanto à cor das lentes, as verdes e castanhas são opções mais acertadas em relação a contraste e profundidade. Evite as pretas e coloridas. A não ser à noite, quando as lentes amarelas melhoram a visão dos motoristas — aconselha.

Para o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto, perito em medicina do trânsito e membro da Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) dirigir contra o sol, sem proteger os olhos, é uma causa frequente de acidentes porque diminui a visibilidade. “A claridade do verão acentua o problema que é mais intenso em quem tem fotofobia, ou seja, quem sofre com a aversão à luz”, afirma, ressaltando que em algumas pessoas a alteração não indica doenças.

Em outras, no entanto, ela pode estar relacionada ao astigmatismo, irregularidade da superfície da córnea que torna as imagens desfocadas, inflamações nas porções posteriores dos olhos ou a medicamentos que aumentam a sensibilidade à luz. “Independente da causa o único remédio é usar óculos escuros ou optar por lentes fotossensíveis que filtram a radiação, escurecem e clareiam conforme a luminosidade.

A cor da lente identifica os benefícios que ela traz aos seus olhos:

Lente cinza: É a mais adequada para quem tem astigmatismo porque reduz o brilho e não distorce as cores.

Lente âmbar ou marrom: Ela melhora o conforto de míopes e hipermétropes por aumentar a visão de contraste, além de filtrar a luz azul que também está relacionada ao desenvolvimento da catarata. Boa para dias claros, pois realçam contrastes e detalhes.

Lente verde: É ideal para maiores de 60 anos por oferecer a melhor visão de contraste que diminui com a idade. Também filtra um pouco da luz azul.

Lente verde-escuro: Muito adotado por militares, permite uma boa percepção de cores e um contraste adequado em ambientes com pouca iluminação.

Lente Laranja ou amarela: Reduz o ofuscamento da visão do motorista no entardecer e filtra a luz azul, mas diminui a visão de contraste em horários de muita luminosidade. São ideais para usar de manhã, no fim do dia ou quando chove

Lente fotossensível: Indicada para quem precisa usar lente corretiva, protege da radiação durante o dia e pode ser usada à noite.

Lente vermelha ou rosa:  Tem caráter mais estético e podem ser usadas em momentos diversos.

Sete dicas para acertar na escolha dos óculos de sol das crianças:

  • Não negligencie a visão do seu filho. Invista em óculos de sol com 100% de proteção UV.
  • Confira se os óculos de sol se ajustam perfeitamente ao rosto da criança. Para que ela sinta-se confortável é preciso não apertar demais nem ter de ficar segurando os óculos com receio de caírem.
  • Seja paciente. Crianças podem levar um pouco mais de tempo do que os adultos para se adaptarem à novidade. Depois vão adorar.
  • Opte por lentes mais resistentes a quedas e riscos. O objetivo principal é proteger os olhos sem limitar os movimentos da criança.
  • Se a criança pratica esportes ou costuma brincar de correr com os colegas, considere utilizar armações apropriadas, que são presas na nuca.
  • Crianças que usam óculos de grau devem ter também a prescrição de um modelo similar de sol.
  • Adolescentes que fazem uso de lentes de contato não precisam de receita para comprar óculos de sol, mas devem usar ambos em lugares abertos.

Dedicar muito tempo na escolha de óculos novos significa que eles não só serão chamativos, como também refletirão e se tornarão parte da sua personalidade. Hoje em dia, não há dúvidas de que as lentes para óculos devem, por si só, proporcionar ao usuário a visão ideal. O oftalmologista pode ajudá-lo a escolher as armações certas, que proporcionem um ajuste ideal, e personalizar as suas lentes para óculos, de modo que correspondam exatamente às suas necessidades.

Às vezes, não há alternativa a não ser adquirir um novo par de óculos. Não apenas devido à mudanças na sua visão, mas também porque as tendências continuam a evoluir a um ritmo constante, ou porque você precisa de um segundo par de óculos para atividades específicas. Ou talvez por conta dos seus óculos já estarem muito usados. Porém, dada a grande diversidade de opções disponíveis atualmente, comprar armações e lentes para óculos novos já não é uma tarefa fácil. Hoje em dia, os bons oftalmologistas oferecem aos seus clientes uma variedade infindável de modelos e características diferentes. Mas qualquer um que saiba o que procura, encontrará facilmente o par de óculos perfeito.

O campo de aplicação dos seus novos óculos

Quando comprar óculos novos, um critério bastante importante para se ter em mente é o campo de aplicação dos óculos. O critério pode variar bastante de usuário para usuário. Uma das primeiras questões é: para quê eu preciso desses óculos, ou eu preciso deles para fazer o quê? Alguém que trabalhe o dia todo dia na frente do computador precisará de óculos diferentes do que alguém que trabalhe a maior parte do tempo em ambiente externo, ou de alguém que necessite de óculos para atividades esportivas. Quanto mais informações você der ao oftalmologista – e um bom oftalmologista colocará sempre muitas questões – mais fácil será o processo de seleção. Compare a sua experiência na compra de óculos com a da compra de um carro, e deixe que o oftalmologista lhe mostre e informe sobre as “característica” que podem ser benéficas para você.

Tecnologias de ponta

Esta é outra verdade que se aplica quando compramos óculos: quanto mais os óculos forem personalizados ao respectivo usuário, melhor são os resultados que podem ser obtidos em termos de qualidade de visão, propriedades de uso e tolerância do usuário, por exemplo, no caso de lentes multifocais. O conceito é similar ao de um terno feito sob medida, que deve ser produzido com as medidas exatas, ao contrário de comprar um terno pronto. Pode até acontecer que um terno pronto lhe caia bem, mas não é garantido. Tecnologias modernas e inovadoras como a tecnologia Individual para lentes progressivas, ou a análise visual contribuem para a criação personalizada dos seus óculos novos.

Escolhendo suas lentes para óculos

Quando entrar em uma ótica é natural que queira passear pela loja em busca de armações bonitas para óculos. Porém, nem todas as lentes para óculos são adequadas para todos os tipos de armações, por isso, é melhor escolher, em primeiro lugar, as suas lentes. Se estiver procurando uma visão melhor e descontraída, não é necessário dizer que as lentes para óculos representam o componente mais importante dos seus novos óculos. Você apenas poderá confiar totalmente no apoio visual dos seus óculos se escolher as lentes certas.

No passado,o vidro mineral era o mais usado na fabricação de lentes oculares, enquanto que, atualmente, as lentes de plástico estão se tornando cada vez mais comuns. Este desenvolvimento traz algumas vantagens: a maior resistência à quebra das lentes assegura menor risco de lesão. Um plástico especial de alta qualidade e um bom revestimento oferecem proteção contra marcas de pressão e arranhões profundos. Mas há outros aspectos que representam um papel importante na escolha das lentes perfeitas para óculos: além do aspecto normal das dioptrias, outros fatores importantes incluem o índice de refração do material (importante para a espessura da lente), as formas asféricas (que reduzem a distorção nas bordas da lente), qualidade do antirreflexo e do tratamento e resistência à quebra. Os revestimentos ou acabamentos adicionais da lente podem simplificar ainda mais a sua vida com os óculos. Porque não tentar um revestimento hidrófobo ou antiestático, por exemplo?

Uma Dica importante: antes de mais nada, as lentes oculares devem ter um revestimento antirreflexo bom e eficiente. Isto porque os reflexos causados por óculos tem um grande efeito de distração quando expostos à luz do Sol, quando dirigimos à noite ou quando trabalhamos na frente do computador. Além disso, as lentes para óculos com tratamento antirreflexo fazem com que o usuário quase se esqueça de que está usando óculos.

Talvez você esteja pensando em comprar lentes para óculos tingidas ou fotossensíveis. Mas tenha cuidado: existe uma grande diferença de qualidade no que diz respeito a lentes fotossensíveis. O fator decisivo a considerar quando for efetuar uma compra é o de que as lentes oculares fototrópicas devem reagir o mais rapidamente possível às condições de mudança de luz, voltando ao estado claro em ambientes fechados e escurecendo até uma tonalidade semelhante a dos óculos de sol quando expostas ao sol ou luz brilhante. É também de extrema importância que as lentes proporcionem 100 % de proteção contra radiações UVA e UVB.

As armações de óculos

No que diz respeito a armações, o balconista da loja pode geralmente pré-selecionar alguns modelos adequados para você, pois é ele quem mais sabe sobre a gama de produtos que possui e, pode ajudá-lo a se orientar pela gama de produtos e ofertas. Porém, lembre-se de expressar suas preferências com relação a cor, material e à faixa de preço, desde o início. O mais importante é que os seus óculos novos devem ser adequados ao formato do seu rosto e também compatíveis com as suas lentes para óculos escolhidas.

Regra geral

Pessoas com um rosto redondo: Devem optar por armações de óculos retangulares ou quadradas, enquanto pessoas com um rosto angular ficarão melhor com armações redondas. Use óculos mais delicados, a armação não deve ser muito mais larga que o rosto nem decoradas.

Pessoas com um rosto oval:  Combina com todo tipo de armação. O importante nesse caso é usar tudo contanto que tudo seja no tamanho proporcional ao tamanho do rosto. Prefira armações de óculos tão ou um pouco mais largas que a parte mais larga do seu rosto são as que lhe cairiam melhor. Óculos com armação que siga a linha da sobrancelha ficam ótimos.

Pessoas com um rosto triangular ou em forma de coração:  Serão, certamente, aconselhadas a optar por uma armação fina e de formato oval.

Pessoas com um rosto fino: experimente armações mais retangulares.

Pessoas com rosto quadrado: Abuse dos modelos arredondados.Prefira óculos que não chamem atenção para a parte inferior do rosto, prefira os que apontam para cima. Os melhores óculos nesse caso, são os que têm mesma largura do rosto, nem maior e nem menor.

Pessoas com rosto coração ou triangulo invertido: Como o próprio nome já diz, esse rosto é semelhante a um coração ou um V. Use óculos da mesma largura da testa ou um pouco menor, nunca maior. Óculos que a parte inferior aponta para fora ficam muito bem.

Pessoas com rosto diamante: O rosto como o formato diamante é semelhante ao rosto coração só que não é tão longo quanto e suas maçãs são bem saltadas, a parte da testa bem mais larga que o maxilar, essa diferença aqui é mais visível que em um rosto tipo coração. Óculos com armação mais larga e acima da bochecha e hastes simples.

Pessoas com rosto longo: O rosto longo tem mais ou menos mesma medida da largura da testa, da largura do maxilar superior e do maxilar inferior, mas o comprimento do rosto longo é bem maior que a sua largura. Use óculos que acentuem mais a largura do que a altura, assim dará ilusão de um rosto mais largo. Óculos com hastes de cores contrastantes e decoradas podem ficar muito bem em um rosto longo.

Dica: quando for escolher suas armações, vá com alguém que o conheça bem. Uma segunda ou terceira opinião podem ajudar muito. Existem três opções para as pessoas que não conseguem ver sem óculos: podem pedir ao oftalmologista óculos de meio olho ou óculos cosméticos, colocar lentes de contato descartáveis ou tirar uma foto digital com as possíveis novas armações, a qual podem depois ver no monitor do computador para auxiliar a decisão.

Outro aspecto que você deve levar em consideração quando escolher armações de óculos é o material usado. Já se sabe que o peso dos óculos desempenha um papel preponderante na sua decisão. Uma nova armação deve ser confortável desde o momento em que a experimenta. Se tiver alergias, também é muito importante que pergunte sobre a constituição dos componentes das armações dos óculos.

Existem óculos escuros especiais para prática de esporte?

Sim, e muitos. A maioria das grandes marcas fabricantes de artigos esportivos estão se juntando a fabricantes de óculos de sol para desenvolver produtos voltados para esportes o ar livre, e , principalmente, nos quais os olhos dos praticantes estejam constantemente expostos ao sol. Esportes como remo, vela, esqui, por exemplo, já contam com modelos feitos especificamente para aqueles que pretendem praticá-los.

Bonés e filtro solar

Além dos óculos, os bonés, chapéus e protetores solares são aliados para o bloqueio dos raios UV. E uns não isentam o uso dos outros, enfatiza a dermatologista Márcia Purceli. “Um “defeito” do boné é que ele protege a testa e o couro cabeludo, mas deixa de fora as orelhas e boa parte do rosto. Por essa razão, o modelo ideal é o chapéu de abas largas, de palha sintética (para as mulheres) ou do tipo australiano (unissex). Chapéus furados, como o de crochê ou de palha natural, não são bons”, diz a médica.

Crianças e homens calvos devem redobrar os cuidados. “O couro cabeludo não foi feito para tomar sol. Tem que cobri-lo e também passar protetor nele”, recomenda. E já existem chapéus e roupas com filtro solar – assim como protetores em spray para os cabelos. Os modelos custam cerca de R$ 50 e vão perdendo a função com as lavagens, mas duram bastante.

A melhor cor de chapéu, indica a dermatologista, é a escura – o branco, quando molhado, permite a passagem de até 50% da luminosidade. Verde claro, azul e vermelho também são ótimas cores, diz Márcia. Ela destaca que o governo deveria incentivar o uso do protetor solar e encará-lo como remédio, não como cosmético. “No Brasil, a alta carga de impostos é culpada pelo preço do produto, que deveria custar até R$ 10. Na Austrália, país com maior índice de câncer de pele do mundo, há protetor de graça nos postos de saúde. E os mercados e lojas, em vez de darem bala de troco, oferecem sachês de filtro solar”, compara.

Assistência adicional após a compra

Após retirar seus óculos prontos da ótica, leve-o para que seu oftalmologista averigue as lentes garanta que se ajustam bem ao seu rosto.

Dica: verifique você mesmo se os óculos novos se ajustam confortavelmente no seu rosto. Eles não devem causar desconforto no seu nariz, têmporas ou em áreas em torno das suas orelhas.

O ditado «longe dos olhos, longe do coração» não se aplica minimamente ao oftalmologista. Às vezes, pode ser bastante útil quando os clientes voltam ao oftalmologista, uma ou duas semanas após receberem os óculos novos, para realizarem alguns ajustes. Mas um bom oftalmologista terá sempre todo o prazer em lhe prestar assistência e auxílio, sempre que precisar.

Resumindo: Como não errar na hora de escolher os óculos?

Opte por lentes resistentes a impactos. Um estudo conduzido na Espanha mostra que o disparo do airbag eleva o risco de perfuração ocular entre pessoas que trafegam sem óculos e dobram o perigo entre as que usam lentes de cristal. Para proteger os olhos no trânsito a melhor opção são as lentes inquebráveis de policarbonato.

Acima de qualquer outra coisa, óculos de sol são acessórios de proteção, portanto, o mais importante para escolher os óculos certos é a garantia de seu uso tornará essa proteção sempre assegurada. Portanto, é essencial que suas lentes apresentem filtros contra os raios UVA e UVB. Assim a função principal dos óculos estará garantida, e os olhos de quem o usar estarão adequadamente protegidos.

Outra coisa a levar em consideração ao comprar óculos de sol é escolher o modelo que melhor se ajusta ao formato do rosto e às necessidades de uso de quem os compra. Existe um número enorme de fabricantes de óculos de sol no mercado, e cada um desses fabricantes oferece uma quantidade muito grande de modelos. Portanto, a escolha do modelo deve ser também baseada no gosto pessoal e na harmonia visual que esses óculos irão compor junto à face daquele que os usar.

[border]

Fontes: por Beatriz fontes / Oftalmologista do Centro de microcirurgia e diagnóstico (RJ) / por Eliane Sapede / Diário do Vale / Por Marianna Feiteiro / Bolsa de mulher / Zeiss Vision / haga Saúde

[border]